Eu digo NÃO!

Em defesa da língua portuguesa, o autor deste blogue não adopta o "acordo ortográfico" de 1990 por este ser inconsistente, incongruente e inconstitucional, para além de, comprovadamente, ser causa de crescente iliteracia em publicações oficiais e privadas, na imprensa e na população em geral.


02/04/2009

Casa da Dª Samarina 2

No seguimento da mensagem de 17/12/2008, a “casa da Dª Samarina”, dou a conhecer mais alguns pormenores da história dos seus proprietários que encontrei aqui, uma homenagem do neto Luís Filipe Beleza Gonçalves.
A casa de família em Galegos pertencia ao Comendador Manuel Joaquim Coelho Gonçalves, e sua mulher Ludovina Rosa Machado Carmona Salter de Mendonça, natural desta freguesia, filho de João Joaquim Gonçalves e Maria Teresa Coelho, abastado negociante de ferragens com estabelecimento comercial na Rua Direita, Barcelos, desde 1884.
Para além de proprietário, foi vereador da C.M. de Barcelos, Procurador da Junta Geral do Distrito de Braga e Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. Sua esposa, Ludovina Rosa Machado Carmona Salter de Mendonça era filha do 12º Senhor da Casa do Apoio em Barcelos e o 9º, e último, Morgado de Carmona, José Machado Carmona Salter de Mendonça.
Em 1921 sua filha, Samarina Carmona Coelho Gonçalves, casou com Henrique Sant`Ana Pereira Vaz, filho do capitão reformado do exército João Pereira Vaz Guedes Pinto de Magalhães e Victória Sant`Ana da Silva de Melo, nascido em Penafiel em Julho de 1889, empregado bancário em Barcelos, Faro, Penafiel e Bragança, tendo exercido as funções de gerente, acabando por falecer ao serviço em Junho de 1951.
Refira-se que o capitão João Pereira Vaz era filho do “último sucessor do morgadio de Alvações do Corgo”, João Pereira Vaz Guedes de Carvalho (legítimo sucessor do Morgado da Capella) e de Dª Leopoldina Rosa Alvares Vaz Guedes Pinto de Magalhães. A Dª Samarina faleceu em Braga em Abril de 1994, estando sepultada no Jazigo da Família Coelho Gonçalves no Cemitério de Barcelos.

Dª Samarina Carmona Coelho Gonçalves e seu marido Henrique Sant`Ana Pereira Vaz.

Aspecto norte da casa, em dia de reunião familiar

1 comentário:

luís vaz disse...

Caro Senhor Francisco de Sousa: É com muita satisfação que visitei o seu Blog sobre a história da Casa que foi da minha avó Dª Samarina Carmona Coelho Gonçalves, pois é de louvar o seu interesse pela divulgação do património arquitectónico/cultural da sua Terra, com o cuidado de investigar e publicar a mais completa possível, a história da Casa daquele que foi um filho ilustre da sua Terra, Santa Maria de Galegos, o meu bisavô Comendador Manuel Joaquim Coelho Gonçalves! um bem haja para esta sua iniciativa, com votos de grandes sucessos para futuras investigações nesta área. Luís Gonçalves Vaz