Eu digo NÃO!

Em defesa da língua portuguesa, o autor deste blogue não adopta o "acordo ortográfico" de 1990 por este ser inconsistente, incongruente e inconstitucional, para além de, comprovadamente, ser causa de crescente iliteracia em publicações oficiais e privadas, na imprensa e na população em geral.


31/03/2009

Mais um artesão.

João Gonçalves Ferreira nasceu a 17 de Julho de 1958, na freguesia de Galegos Santa Maria, concelho de Barcelos, onde actualmente reside no Lugar da Igreja. Cresceu no seio de uma família com aguerridas tradições oleiras, onde aprendeu as mais ancestrais técnicas de trabalhar o barro. Toda a sua infância e adolescência são dedicadas a trabalhar no barro. Aos 21 anos, abandona as lides familiares e emprega-se numa empresa cerâmica. Trabalha mais de 26 anos na indústria cerâmica, sem abandonar por completo o seu gosto por moldar pequenas peças em barro, à imagem do que fazia na sua juventude. Em 2004, abandona a indústria e fica sem ocupação profissional. Nessa altura assume em definitivo a sua paixão e começa novamente a “brincar” com o barro e a fazer pequenas peças que fazem recordar o “figurado” do antigamente. A partir desta data não mais parou. Possui já um espólio bastante numeroso e diversificado de peças de figurado. Numa primeira fase, dedicou-se a recuperar figuras do artesanato barcelense que deixaram de aparecer nas criações do artesanato local, como os pássaros sobre troncos de árvores e outras que se destacavam no figurado, aquando da sua infância. Actualmente, em virtude das inúmeras solicitações, no seu espólio pontificam peças como os tradicionais carros de bois, os galos, as imagens do mundo rural, as profissões, a sátira e as figuras do quotidiano local. Contudo, distinguem-se das demais peças desta arte por terem um cunho muito pessoal e serem equiparadas às que em jovem aprendeu a confeccionar. Entre a sua obra, destaca-se a representação que faz do galo de Barcelos. O galo jogador, o galo cozinheiro, o galo agricultor, a família de galos, os galos namorados, são algumas das formas que podemos encontrar entre o vasto espólio deste artesão barcelense.
Para mais informações aceda aqui.
Compilado com base numa reportagem retirada do jornal Voz do Minho de 15/02/2006, autora Fátima Vilaça.

30/03/2009

A arte dos Baraça

Admirem algumas das peças dos irmãos Baraça, três presépios e um coreto com músicos:

29/03/2009

Tudo na mesma.

O Santa Maria recebeu e bateu o Lage por 4-1 a contar para 24ª jornada do campeonato distrital da A.F. Braga, divisão de honra.
De igual modo, o Famalicão bateu o Arões por 2-1, pelo que no topo da tabela classificativa continua tudo na mesma, o Famalicão lidera com 53 pontos, em 2º está o SMFC com 50 pontos, em 3º o Taipas com 45 pontos, perdeu com o Martim por 2-0, e em 4º lugar estão o Santa Eulália e o Martim com 43 pontos.
Na próxima jornada o Santa Maria defronta o Pico de Regalados, mas como esta equipa desistiu da competição, os 3 pontos estão desde já assegurados.

28/03/2009

Recordação.

Não interessa quem são os "casados de fresco", o que quero deixar é uma pequena recordação do que era a capela de Santo Amaro na década de setenta, alguns anos antes das obras levadas a efeito, e que a modificaram radicalmente.
Haverá alguém por aí que tenha mais recordações desta capela?

27/03/2009

Assembleia Geral

Está anunciada uma assembleia geral para todos os sócios e simpatizantes do Santa Maria Futebol Clube a realizar hoje, pelas 21:30 horas, na sua sede social.
Destacam-se dois pontos, a prestação de contas e assuntos de interesse para a colectividade, pelo que todos os sócios interessados devem estar presentes à hora marcada para saberem como anda o Clube no aspecto financeiro, e o que a direcção tem feito para ter as contas em dia (?).

25/03/2009

Ouvi dizer...

Consta por aí que o Centro Termal do Eirôgo foi vendido, será verdade?
Esperemos bem que sim, não só para dar nova vida ao Centro Termal, mas também, e sobretudo, para valorizar Galegos Santa Maria.
Com o ressurgimento das caldas, Galegos só teria a beneficiar, até porque neste momento estas estão quase inactivas e abandonadas.
Estando a funcionar em pleno haveria mais emprego directo e indirecto, haveria mais gente para admirar e adquirir o artesanato feito pelos nossos artesãos e teríamos, sem sombra de dúvida, uma oportunidade ímpar para divulgar, promover e publicitar a freguesia e as suas gentes.
Esperemos que os rumores sejam verdadeiros e que o novo promotor avance com um projecto válido, consequente e consistente para, de uma vez por todas, promover e disponibilizar estas águas "que se fossem em um reino com autoridades mais solícitas, seriam famosas em toda a Europa e uma fonte inesgotável de riqueza pública”.
Aditamento: 26/03/2009 (19:30 horas)
Afinal, parece que não! As termas ainda não foram vendidas.
Não houve acordo entre as partes, por isso tudo continua na mesma, infelizmente para todos...

23/03/2009

Resultados.

O Santa Maria F.C. continua na senda dos bons resultados, desta vez foi à A.D. Esposende vencer por 2-1.
Com esta vitória, beneficiando do empate a uma bola entre o Martim e o Famalicão, o Santa Maria F.C. reduziu o avanço do Famalicão para três pontos, estando a classificação assim:
1º Famalicão com 50 pontos; 2º Santa Maria F.C. com 47 pontos; 3º Taipas com 45 pontos; 4º Santa Eulália com 43 pontos e 5º Martim com 40 pontos.
Quanto aos Juvenis, embora continuem invencíveis à 20ª jornada, acabaram por empatar no Antas, acabando com a série de vitórias consecutivas, 19.

21/03/2009

Sabem onde é?

Sabem onde fica o local desta foto?
Segundo parece, neste local funcionou nos anos quarenta ou cinquenta, uma escola, que ocupava a parte onde se situa a porta pequena e o janelo.
É só mais uma lembrança do passado recente, para que os mais velhos recordem e os mais novos saibam como era a freguesia antes dos alargamentos dos caminhos desta terra.
Por falar nisso, será que alguém dos que passam por este blog não tem fotos em casa que possam dar a conhecer imagens antigas de locais da freguesias, disponibilizando-as para publicação, contribuindo desta forma para valorizar a história e o conhecimento de Galegos Santa Maria? Vamos lá, não sejam tímidos, fico à espera da vossa ajuda para enriquecer este blog que é de todos e para todos.

19/03/2009

O clã Baraça.

A família “Baraça” é a prova viva da passagem de saberes e identidades na arte de trabalhar o barro. A tradição foi encetada por Ana “Baraça” no início do século passado e continuada, primeiro, pelo filho Fernando “Baraça” e, agora, pelos netos Carlos, Vítor e Moisés “Baraça”.
Com uma identidade muito própria, o figurado dos “Baraças” pauta-se pelo simbolismo, pela magia e pela expressão artística das peças, características às quais se aliam as cores coloridas e atractivas que atestam a vivacidade deste tipo de artesanato. O espólio exposto é vasto e diversificado, notando-se, contudo, uma predominância de peças intimamente influenciadas pelo estilo de Ana “Baraça” – caso das juntas de bois, dos presépios e de outras que retratam a ruralidade e o quotidiano. De Fernando “Baraça” destaque para os coretos e para as bandas de música, os trabalhos mais identificativos da sua arte.
Sem renegar as origens e a tradição familiar, Carlos, Vitor e Moisés “Baraça” têm-se dedicado também a criar e a inovar nas técnicas e nas formas. Vitor “Baraça” tem enveredado, por exemplo, pelas imagens de Cristos e pelas profissões. Já Moisés “Baraça”, o filho mais novo, alia o carácter tradicional, ao estilo da sua avó, à criatividade e à inovação, trabalhos que já o levaram a participar em feiras e exposições de artesanato a nível nacional e internacional.
A exposição “A Arte dos Baraças” pretende, assim, prestar tributo a uma das famílias de barristas mais tradicionais do concelho e, simultaneamente, mostrar a riqueza das peças produzidas pelos quatro artesãos descendentes da mítica “Ana Baraça”. Mais que uma família de barristas, os “Baraças” “são uma marca de expressão da expressão artística do figurado de Barcelos e constituem-se como referencial da arte popular em Portugal”.
Linhagem de artistas:
O epíteto “Baraça” surge do casamento entre Ana Lopes Gonçalves (Ana “Baraça”) e Manuel Pereira que, em solteiro, tocava viola nas romarias das aldeias, a qual decorava com baraças (tiras em tecido) que ficavam penduradas e chamavam a atenção das pessoas. Nas calças, Manuel Pereira também usava uma baraça em vez de um cinto. Ora, a alcunha “pegou” e, ligado ao nome da sua esposa Ana, tornou-se uma referência no panorama das artes e dos ofícios portugueses.
Mas a tradição barrista desta família é bem mais antiga. Filha de Manuel Valada e Luísa Lopes, memoráveis artesãos do concelho, Ana “Baraça” começou a acariciar o barro muito cedo, contava apenas 7 anos. Aos 15, já colocava as suas próprias criações no forno do pai. Foi com os seus trabalhos que o nome “Baraça” se catapultou para os arautos da arte popular nacional. A artesã de Galegos Santa Maria deu ao típico figurado de Barcelos uma projecção só comparável à acção de Rosa “Ramalho” e Rosa “Cota”.
O seu saber foi transmitido ao filho Fernando Gonçalves Pereira “Baraça”, que também se iniciou na arte quando ainda menino. A paixão pelo barro, associada às precárias condições económicas da família, levaram-no a dedicar-se totalmente à feitura de artesanato. Os trabalhos que elabora têm uma nítida influência na arte da mãe, mormente as peças ligadas ao mundo rural, à agricultura e à pecuária: os carros de bois, os camponeses, os arados, as juntam de bois, entre outras. Já o seu cunho pessoal fica expresso sobretudo nos coretos e nas bandas de música.
Os três filhos de Fernando – Carlos, Vitor e Moisés “Baraça” – também comungam da mesma paixão e estão, assim, a dar continuidade à obra iniciada pela avó Ana “Baraça”. Foi com ela, aliás, que deram os primeiros passos no ofício. Têm experimentado novas técnicas, feitios e temáticas. Mas continuam fiéis ao estilo da “mestre”.
Autor: Filipa Oliveira (Barcelos Popular – 20/11/2006) a propósito da exposição de trabalhos na Sala Gótica dos Paços do Concelho de Barcelos.

18/03/2009

Lausperene

Tem início hoje, pelas 20:00 horas, o Lausperene paroquial.
Lausperene, do latim "louvor perene", é a designação dada na igreja católica à exposição continua da hóstia consagrada (Santíssimo Sacramento) à adoração dos fiéis.
O lausperene tem geralmente a duração de 40 horas, em memória do período que o corpo de Jesus passou no túmulo até à ressurreição, mas pode ocorrer por períodos mais, ou menos, longos.
Em Santa Maria de Galegos, o lausperene tem a duração de 24 horas, já que começa no dia 18, pelas 20:00 horas, encerrando no dia 19 também por volta das 20:00 horas.
A particularidade do lausperene em Galegos, é que se realiza a coincidir com o dia de S. José, 19 de Março, estando os fiéis com o mesmo nome encarregados de organizar e zelar pelo bom funcionamento deste acto religioso.
Abaixo, deixo o horário programado para os diversos Lugares e movimentos paroquiais:

Limites com Lijó

O limite começa no Poço Cavalar, por trás da Texmin, passa pelo moinho do Chochas em direcção à casa do Fernando da Quinta, casa ao lado da Pastelaria do Eirôgo, e daí atravessa a estrada em direcção à casa que está imediatamente a seguir, no sentido poente/nascente, ao ex-café Brasília.
Essa casa é a primeira de Galegos Santa Maria desse lado.
A estrema continua pelo limite do caminho, melhor, da Rua dos Artesãos, de Lijó, até à esquina da Texamérica, seguindo para o marco que se encontra no monte Lombão, marco S.I.P. e Vilar.

17/03/2009

Isto também é história.

Em cima, da esquerda para a direita: António Ramos, Jorge Ferreira, Fernando Ferreira, Armandino, Lino Dias, Zeca Nélito e Carvalhinho.
Em baixo: Teixeira, Tibi, "Filó", Pirra II, Henrique Dias e Pirra I.
Isto também é história.
Foto de uma das muitas equipas que na década de setenta e oitenta existiam em Galegos, creio que se chamava "Penelas", registando para o futuro a conquista do torneio disputado no antigo campo dos "Galos", em Barcelinhos.
Estas equipas estavam vocacionadas essencialmente para participar nos inúmeros torneios populares que se realizavam um pouco por toda a parte, em Galegos também aconteciam. Quem não se lembra dos torneios organizados pelo Sr. José Sousa, que despertavam paixões acaloradas e exacerbadas de "clubite", degenerando, muitas vezes, em pancadaria geral?
Para além desta, existia também o Clube Académicos de Galegos, a que mais representou Galegos por Portugal fora (lembro-me de ter participado, em meados de oitenta, num torneio em Tomar, Remelhe, Cristelo e Abade de Neiva), a JAC (Juventude Agrária Católica) e Pré-JAC e muitas outras confinadas aos Lugares. Estas últimas organizavam jogos entre si nos campos improvisados de Santo Amaro, no olival de Pena Grande, em Penelas, em Carvalhal, em Souto de Oleiros, etc, para gáudio dos mais jovens, daqueles que ainda não tinham idade, altura nem corpo suficiente para jogar com os mais velhos.
Bons velhos tempos...

16/03/2009

Cruz de Pedra.

Penso que já toda a gente reparou na Cruz de Pedra que se encontra no cruzamento para a EB2,3 de Lijó, mesmo em frente à Texmin, contudo, nem toda a gente conhece a sua história, motivo e razão porque aí se encontra.
Segundo parece, esta cruz foi aí colocada em honra do Herói da Cruz de Pedra.
A história é simples e conta-se depressa:
Por altura das invasões napoleónicas, início do século XIX, as populações andavam aterrorizadas e fugiam a esconder-se da crueldade dos soldados franceses, mais importados em pilharem as riquezas do nosso país e do povo, do que propriamente defender a causa que os levou a invadir e espalhar a guerra por toda a Europa.
Para que as populações pudessem ter tempo de se esconder ou fugir, havia pessoas mais corajosas e aventureiras que vigiavam as movimentações dos soldados franceses, Sabino, um homem natural de Galegos Santa Maria, era um deles, vigiava para salvaguardar os interesses da população.
Só que foi descoberto e assassinado pelo soldados de general Junot no local onde viria a ser erguida este singelo monumento, a chamada Cruz de Pedra, em homenagem a este herói, pela sua coragem e altruísmo na altura de defender os seus concidadãos.
O herói era natural de Galegos Santa Maria!
Temos de saber mais deste Sabino, por exemplo, o nome de família. Haverá alguém por aí que tem acesso aos arquivos distritais, e tenha tempo para efectuar buscas nos livros de registos?

15/03/2009

Estamos cada vez mais perto...

Numa tarde quente e própria para estar numa esplanada, na praia ou a passear, o Santa Maria bateu o Torcatense por 2-1, mais dois golos do Vieira, a contar para a 22ª jornada da divisão de honra da A.F.Braga.
A juntar aos três pontos conquistados, o Santa Maria acabou por ganhar mais dois pontos aos seus rivais, Famalicão e Taipas, dado que estes empataram a zero nesta jornada. Desta forma a vantagem do Famalicão foi reduzida para cinco pontos e aumentou em dois pontos a distância para o Taipas.
Finda a jornada, lidera o Famalicão com 52 pontos, em segundo está o Santa Maria com 47 pontos, em terceiro o Taipas com 45 pontos e em quarto lugar o Santa Eulália com 40 pontos.
Na próxima jornada o Santa Maria desloca-se ao Esposende, que ocupa o sétimo lugar com 35 pontos.
Para finalizar, os Juvenis do SMFC continuam a ganhar, já lá vão 19 jornadas sem perder, tendo desta vez batido o Várzea por 4-0.

13/03/2009

Joaquim Esteves - Filho de Galegos

Joaquim Ferreira Esteves
Nasceu na freguesia de Galegos Santa Maria em 13 de Dezembro de 1957, no seio de uma família de barristas e oleiros, em pleno coração do centro de produção cerâmica de Portugal. Desde tenra idade que manuseia o barro e faz pequenas peças e figuras, dando continuidade ao legado "barrista" da família. Aos 10 anos ajudava já o pai no enchimento de moldes cerâmicos. Apesar de ter feito sempre dos trabalhos em barro a sua principal paixão, somente aos 25 anos começa a modelar e a comercializar peças de sua criação. Durante a década de 90 dedicou-se à produção em série, para exportação de peças decorativas. Em 2001 inicia a sua carreira como caricaturista em peças de barro, arte esta que tem potenciado a sua cada vez maior notoriedade. É dele a célebre criação da peça “três Pés” que tanta celeuma provocou em Braga, nomeadamente junto da Igreja Diocesana, ao caricaturar “Padres, Putas e Paneleiros”, em resposta ao repto lançado pela RTAM (Região de Turismo do Alto Minho) para criar uma peça que identificasse Braga. Mantém a veia crítica no seu trabalho. Já caricaturou Bento XVI, pelo seu "fundamentalismo" ou o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso. A sua costela humorística – à semelhança de Bordalo Pinheiro – também invadiu o mundo do futebol: "vestiu" Pinto da Costa de anjinho (!)... A expressividade que atribui às figuras, transmitindo uma sensação de movimento, é outra característica que lhe dá nome no mundo das artes. Das cerca de 20 figuras profanas e religiosas que fazem parte do presépio, destaca os mendigos pai e filho que recriou para criticar "a hipocrisia e a ausência de solidariedade" representada pelos Reis Magos que "não lhes dão esmola". O Pai Natal surge como pedinte num ambiente onde também a homossexualidade foi retratada, segundo diz, "para contestar a filosofia da Igreja". Acrescente-se um anjo e as restantes figuras do presépio tradicional, como o Menino Jesus, Maria e José. Num tributo à arquitectura minhota, o caricaturista substituiu o tradicional estábulo por uma casa. Um trabalho ousado de um artesão que afirma que "ser artista é uma maldição". E gosta de o ser? "Gosto e não gosto", conclui. Hoje é um dos mais notáveis criadores da arte do barro do concelho de Barcelos, atributo conseguido essencialmente devido à inovação e criatividade que imprime nos seus trabalhos. Para quem estiver interessado em conhecer melhor este artista filho de Galegos Santa Maria e a sua obra artística, aqui deixo o seu endereço electrónico:

12/03/2009

Santa Maria F.C.

Peça jornalística de Rui Miguel Graça no Correio do Minho de 21/02/2009:

“Fundado em 1943, o Santa Maria tem um passado rico, recheado de conquistas e momentos que vão ficar escritos para sempre na história de um dos mais emblemáticos clubes da Associação de Futebol de Braga.As duas subidas à II divisão nacional enchem o peito às gentes de Galegos, tal como o título da extinta I divisão da Associação de Futebol de Braga, obtido na época 1984/85. Aliás, essa foi uma temporada dourada, com a equipa barcelense a juntar o sol com a lua, ou seja, o campeonato à Taça Associação. Neste folhear de história a mais recente subida ao trono aconteceu em 2001/02, com o Estádio 1º Maio a servir de palco para o segundo triunfo da Taça Associação. Uma vitória sobre o Grupo Desportivo de Prado, selada com dois golos sem resposta, um deles de Bruno Torres, antigo artilheiro e actual director-desportivo do clube. Neste confronto entre passado e presente, o Santa Maria abre as asas ao futuro. É uma busca intensa às origens, numa simbiose que se quer perfeita. Direcção, equipa técnica e grande parte do jovem plantel têm forte ligação ao clube, à freguesia. A fórmula perfeita não existe, mas há uma linha criada, um fio condutor, que levou João Pontes a deixar a direcção da mesa da Assembleia-Geral e regressar à cadeira da presidência. Um retorno para não deixar cair o clube e fazer renascer o grande Santa Maria.A reestruturação do clube é ponto de honra no gabinete directivo. A subida de divisão está sempre no horizonte de um clube que sabe respeitar, sabe receber e que pretende manter o nível em toda a linha. Perante o cenário, de fino recorte, e com sentimento à mistura, o técnico João Salgueiro sente que em Galegos Santa Maria, todos os dias são especiais. Sobre o futuro do clube há ainda muito por contar, há pedaços a acrescentar, num emblema com sessenta e seis anos de muita história, mas que pretende escrever o futuro com mais brilho do que o passado, com mais cor e mais títulos. Ingredientes talhados, criados e trabalhados na freguesia, com sentimento e qualidade de braços dados. Com o passado em mente e o presente como rampa de lançamento. É assim o Santa Maria num regresso às origens com marca genética, pronúncia e com a via aberta para as gerações futuras. É legítimo e não é difícil fantasiar com futuros próximos e distantes, cheios de invenções fantásticas e utopias deslumbrantes. Difícil é construir... e em Galegos basta olhar para o relógio, observar e sorrir para a máquina. Herói de outros tempos, peça valiosa na actual estrutura, Bruno Torres está intimamente ligado a conquistas do Santa Maria. Sobre o actual filme dá “os parabéns” aos actuais actores e destaca “a importância da combinação entre experiência e juventude”. Sente que só há um caminho a seguir e esse passa “pela aposta clara na formação”, ou seja “dar continuidade aquilo que se tem vindo a fazer”. Contudo, para isso há pressupostos a atingir, há marcas necessárias e condições a criar. “Nos momentos de crise é que se consegue criar os grandes projectos”Dá para assustar? O cenário actual em torno da crise económica mundial torna o futebol distrital num glaciar ingovernável, numa fornalha em brasa. Há números abrasadores e o exemplo do Pico de Regalados é para levar à letra. Imersos nessa realidade, o Santa Maria traçou um plano rigoroso, numa linha cravada que é para servir de doutrina. Em campo é para abrir fogo, nos gabinetes é para gerir com inteligência e de forma profissional.João Pontes deixou a mesa da Assembleia-Geral para a colectividade “não perder o que de bom conquistou nestes últimos anos, para aguentar por um lado e por outro tentar que o Santa Maria possa ser desportivamente mais forte. Confessa que não teve alternativa, já que “existia o risco de o clube cair” e que tem em mente “desenvolver uma fórmula mais adequada, com um enquadramento alicerçado nas camadas jovens”. João Pontes sente-se orgulhoso por o Santa Maria possuir nas suas fileiras o sangue novo, massa jovem e provavelmente “o plante mais jovem da Divisão de Honra”. “Em campo já estiveram onzes com uma média de idades na casa dos 21 anos e isso é incomparavelmente importante até para enquadrar os jovens da freguesia numa dinâmica de futebol e de desporto”.Nesse prisma, João Pontes reserva parte do seu discurso para o lado educacional, organizado e comportamental. “O Santa Maria não é só Santa Maria a jogar futebol dentro de campo, que é um grande clube. É também na assistência, é na forma de jogar, é no trato que tem com todas as pessoas, é nas exigências nas camadas jovens, onde procuramos que haja respeito e princípios, onde os atletas devem procurar primeiro vencer nos estudos e depois, se possível vencer também no futebol. É aquilo que podemos dar da nossa experiência da vida desportiva. O Santa Maria procura dignificar o futebol”. “Iniciamos a época sempre com o objectivo de um crescimento muito grande e ver o que pode para amanhã aproveitar em relação aquilo que hoje construímos. Já conseguimos dizer que neste momento a aposta está ganha, mesmo na mudança técnica. Estamos mais Santa Maria, o grupo está mais fortalecido e esta equipa técnica tem uma visão realista do clube e do que o rodeia. Pena é que a situação económica do país e das famílias não é a melhor, mas com muito esforço, muita vontade vamos crescer. Costumo dizer que nos tempos de crise é que se criam os grandes projectos. Se puder ser útil ao Santa Maria em termos de linhas mestras vou fazê-lo com toda a dedicação. O Santa Maria tem um passado muito risonho, muito glorioso, mas queremos que o futuro seja imenso. Temos sido um clube que não é problemático. Mesmo nos maus momentos sabemos receber. Já não se usa não saber receber e o Santa Maria já sentiu isso. Fazemos um grande esforço e, temos prazer, em criar bases e dotar o clube de uma imagem positiva e alegre”, destacou João Pontes. A simbiose perfeita... Olhar para a equipa juvenil do Santa Maria é deleitar-se com uma máquina que carbura à velocidade das naves espaciais, impenetrável e devoradora. Há magia, sedução, evocação, ouro, itens reconfortantes de um presente que talha o futuro. Em Galegos a hierarquia técnica tem uma combinação única, assente na estratégia futurista da equipa. Nuno Sousa assume o comando dessa máquina triturante, que em quinze jogos (já são 18 nesta data) só soube vencer e assume também uma pasta no corpo técnico liderado por João Salgueiro. É analista/observador de adversários, de jovens jogadores e estando em permanente contacto com o líder técnico. A estatística, os relatórios técnicos chegam em força ao gabinete de João Salgueiro. São doses imersas no estudo de um jovem técnico que se confessa apaixonado “pelo conhecimento”.Aqui não há receio de caminhar pelas ruas da amargura, há sim um fervilhar de novas emoções e de novos sentimentos, de uma busca em torno do novo e em prol de um sentimento. “É imperioso continuar a trabalhar a mística do clube, para que os jogadores sintam o que é o Santa Maria e se orgulhem do emblema que têm no peito”, dispara de forma clara e segura.A equipa juvenil tem sido trabalhada “desde o arranque” para subir ao trono na Associação de Futebol de Braga, “não só ao serviço dos juvenis, mas também em outros escalões”. Aliás esse é o objectivo mais forte que existe, já que o futuro vai ser escrito por eles. Humilde e “agradecido a João Salgueiro” pela oportunidade oferecida, Nuno Sousa traça a escala das obrigações e preocupações e coloca o tom em várias áreas: “A preocupação aponta para o trabalho técnico/táctico de um jogador, de forma a que quando enfrentarem uma nova realidade conseguirem adaptar-se a ela, criar jogadores onde os valores morais possam estar de braços dados com o trabalho desportivo e pensar no indivíduo como parte de um todo, de uma sociedade”. “É assim nos juvenis, é assim em todos os escalões. É com esse pensamento que todos os treinadores trabalham nas camadas jovens, para que a informação que chegue ao topo da linha seja a mais precisa e valiosa possível”. É naturalmente uma busca intensa da simbiose perfeita...”

10/03/2009

Quem ajuda?

Já estão à venda os bilhetes para o sorteio promovido pelo Santa Maria F.C. com a finalidade de ajudar a colectividade a angariar fundos e fazer face às despesas decorrentes da actividade desportiva, em particular da equipa sénior, que nesta altura se encontra em 2º lugar no campeonato distrital da A.F.Braga, divisão de honra, aspirando à subida à III divisão nacional.
Os vencedores serão encontrados através dos números da lotaria da Páscoa, e os prémios podem ser reclamados durante os 30 dias subsequentes.
Faço daqui um apelo para que todos aqueles que possam e queiram ajudar, para que comprem um ou uns bilhetes e desta forma ajudem a direcção do Santa Maria F.C. no seu objectivo de promoção e engrandecimento do Clube, e da freguesia de Galegos Santa Maria.
Sei que os tempos não são fáceis, mas onde todos ajudam nada custa.
Vamos lá ajudar, e boa sorte para quem o fizer.

09/03/2009

Faleceu...

Faleceu hoje a Sra. Laurinda Pereira (Laurinda "Camiona"), do Lugar de Casal do Monte.
O seu corpo está depositado na capela mortuária, e o funeral está marcado para amanhã, terça-feira, às 17:00 horas.

Estremas com S. Veríssimo.

(Para aumentar, clicar nas imagens)
Estas são as estremas com Tamel S. Veríssimo, conforme referi numa anterior mensagem, onde apresentava as fotos dos marcos delimitadores.

08/03/2009

O Santa Maria já é segundo!

O Santa Maria F.C. venceu hoje o Ronfe por 3-2 e chegou ao 2º lugar, em igualdade pontual com o Taipas já que este perdeu em casa com o Lage por 1-0.
Após a 21ª jornada o SMFC tem 41 pontos, menos 7 do que o Famalicão, que lidera com 48 pontos.
Na próxima jornada, o SMFC recebe o Torcatense.

Aí vão 18!

A equipa de juvenis do Santa Maria F.C. continua invicta na 2ª divisão do campeonato distrital da A.F. Braga, já lá vão 18 jornadas!
Desta vez, frente aos vizinhos, e sempre rivais, "Os Ceramistas", que lutam também pelo acesso à 1ª divisão, dado que o segundo classificado também sobe, conseguiram uma vitória expressiva por 5-1.
Desta maneira, os comandados por Nuno Sousa lideram a tabela classificativa só com vitórias e com um avanço folgado de 14 pontos sobre o segundo classificado, "Os Ronaldinhos".
Parabéns miúdos, força aí!
Continuem o bom trabalho, e obrigado a todos, técnicos, dirigentes e jogadores, pelo orgulho e empenho colocado em campo.

07/03/2009

Marco da Agra de Galegos.

Marco da Agra de Galegos (MIDE / VILAR / 1615) situado do lado nascente da quinta do Moutinho, é referenciado em 1752 no tombo de Tamel S. Veríssimo como sendo delimitador das estremas entre esta e Galegos Santa Maria, embora a principal função deste marco fosse a de identificar os limites do couto de S. Martinho de Manhente.
Desconhecem-se outros marcos iguais a este até ao ribeiro das pontes, talvez mais dois ou três, já que no mesmo documento acima referido, o limite ia correndo para poente até chegar ao rio do Poço Cavalar pelos marcos do couto de Manhente.
Segundo informações que recebi há uns tempos atrás, existe a forte probabilidade de existir um enterrado a mais ou menos sete passos a contar da parede do matadouro "Linda Rosa" para poente, mas como se torna difícil fazer o trabalho de prospecção manualmente, vou esperar a oportunidade para encontrar uma máquina retroescavadora disponível para o fazer.
Em todo o caso, não descansarei até verificar a veracidade, ou não, deste facto. Quando isso acontecer, darei notícias.

06/03/2009

Será desta?

Será desta que as árvores plantadas junto do Centro Paroquial darão alguma coisa?
É que até agora, já lá vão uns anitos, nada conseguiu ganhar raízes, embelezar o local e proporcionar sombra nos dias impiedosos de verão, em que o calor se faz sentir com grande intensidade e uma sombra fresca é sempre bem vinda.
Não tem sido nada fácil arranjar as árvores ideais para este espaço, vão sendo substituídas, umas porque são de grande porte e podem estragar o pavimento, outras frágeis e delicadas que não conseguem vingar, pelo que a involvência do Centro está há muito descaracterizada, cinzenta e monótona, a precisar de umas árvores para lhe dar cor e alegria.
Desta vez são magnólias, árvores bastante apreciadas como ornamentais em jardins, caracterizam-se pelas abundantes flores brancas e rosadas, grandes e perfumadas, que em Fevereiro começam a anunciar a primavera de uma forma peculiar, as suas flores desabrocham primeiro que as folhas.
Esperemos que sejam bem tratadas e cuidadas, para que as árvores fiquem grandes, frondosas e bonitas, não só para ornamentar e enfeitar, mas também para oferecerem sombra no verão.

05/03/2009

Limite com Manhente.

Depois de já aqui me ter referido ás confrontações com a freguesia de Manhente, retiradas de documento de 1508, e de apresentar o mapa oficial administrativo de Galegos Santa Maria em mensagens anteriores, apresento hoje o traçado que julgo ser o mais correcto em relação ás estremas entre as duas freguesias.
Embora deduzindo que nenhuma das Juntas de Freguesia estará de acordo com estes limites, penso que eles estarão muito próximos da realidade, todavia não o posso provar, nem afirmar. São fruto de muitas conversas com pessoas na casa dos oitenta anos, pessoas idóneas e com alguns conhecimentos nesta matéria, que relataram experiências de vida e lembranças passadas, por exemplo, quando o sr. Ernesto Campos afirmava que a bouça da Lagoa, onde está a Tulipa e todo o loteamento, era meeira entre Galegos e Manhente; quando o sr. José Pereira comprou o terreno para construir a sua casa e pediu ao mesmo, sr. Ernesto Campos, terreno situado em Galegos, ou então quando a sra. Rosa Silvestre (Rosa da Venda), ainda criança, ficava a guardar as compras junto ao marco que estaria na propriedade do sr. Francisco Bogas, enquanto aguardava pelo seu pai que levara outras para casa, são tudo testemunhos credíveis e aceitáveis para confirmar aquilo que apresento.
Bom seria que ambas as Juntas e Assembleias de Freguesia chegassem a um acordo e, de uma vez por todas, acabassem com este imbróglio administrativo, porque infelizmente há gente que vive situações deveras problemáticas e conflituosas, mesmo entre família, por causa desta questão.
Esperemos pelo bom senso, rápido e urgente, dos autarcas intervenientes.

04/03/2009

Passadeiras!

Ainda se lembram das "passadeiras", aquele atalho que utilizávamos com frequência para ir para a escola, para a igreja, para o trabalho, para o futebol, enfim, era o caminho normal para o pessoal de Santo Amaro e Portela?
Praticamente todo coberto por ramada, aí muita gente se divertiu a saltitar por cima das "patelas", a penicar uvas e a molhar os pés no rego de água que por lá passa, ou então a brincar com o gelo que se formava naqueles dias frio de inverno, a caminho da escola.
Hoje está diferente, não tem ramadas, o carreiro está mais largo e são poucos aqueles que o utilizam habitualmente, as pessoas deixaram de andar a pé, utilizam o carro para quase tudo, esqueceram-se destes caminhos.
Não se esqueçam de aproveitar os dias de sol para "matar" saudades deste, e de outros locais que ainda persistem na memória da meninice, até porque andar a pé faz muito bem, aprendemos a reparar nos pormenores que toda a vida nos escaparam, e que só com calma e vagar acabamos por descobrir.

03/03/2009

As imagens dizem tudo!

As imagens dizem tudo!
Já cá falei desta infraestrutura, e do estado de abandono a que está sujeita, pelo que não é necessário dizer mais nada...

01/03/2009

Dia da Bíblia.

Decorreu hoje, domingo, em Galegos Santa Maria o Dia da Bíblia, iniciativa desenvolvida conjuntamente para as paróquias de Galegos Santa Maria, Galegos S. Martinho, Manhente e S. Romão da Ucha.
Na Eucaristia das 10:30 horas deste 1º domingo da Quaresma, os secretariados Bíblicos de Barcelos e Viana do Castelo dinamizaram biblicamente a missa, ajudando os presente a crescerem na fé.
Nas palavras do pároco de Santa Maria de Galegos, todos os católicos, ao começar o tempo quaresmal, devem pensar na mensagem do seu bispo -a esmola como sinal de caridade e vivência interior, ajudando os mais carenciados e os desempregados.
De igual modo alerta para as palavras de Bento XVI, que apela ao jejum e à atenção ao próximo como meio de aproximação do sagrado.

Hoje, há futebol.

O Santa Maria F.C. recebe hoje á tarde, pelas 15:00 horas, a contar para o campeonato distrital da divisão de honra da A.F. Braga, 20ª jornada, o Santa Eulália.
Estas duas equipas estão distanciadas entre si por dois pontos, o Santa Eulália na 3ª posição com 37 pontos, enquanto o Santa Maria ocupa a 4ª posição com 35 pontos, pelo que se perspectiva uma boa partida para esta tarde, esperemos que o tempo ajude.
Recordo, entretanto, que na primeira volta o resultado final foi um empate a uma bola.
Aditamento: 01/03/2009 - 17:15
O Santa Maria bateu o Santa Eulália por um concludente 4-1, não deixando qualquer margem de dúvidas quanto à justiça do resultado.
Com este resultado, o SMFC sobe à 3ª posição com 38 pontos.
Nota final, só o Vieira marcou 3 golos!