Eu digo NÃO!

Em defesa da língua portuguesa, o autor deste blogue não adopta o "acordo ortográfico" de 1990 por este ser inconsistente, incongruente e inconstitucional, para além de, comprovadamente, ser causa de crescente iliteracia em publicações oficiais e privadas, na imprensa e na população em geral.


10/01/2017

Enclave de Roriz



 

 

Parte de um território ou de um país encerrada dentro dos limites geográficos de um território ou de um país diferente.

"enclave", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/enclave [consultado em 10-01-2017].

Parte de um território ou de um país encerrada dentro dos limites geográficos de um território ou de um país diferente.

"enclave", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/enclave [consultado em 10-01-2017].
Parte de um território ou de um país encerrada dentro dos limites geográficos de um território ou de um país diferente.

"enclave", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/enclave [consultado em 10-01-2017].
O significado para Enclave é "parte de um território ou de um país encerrado dentro dos limites geográficos de um território ou de um país diferente".
Como podem verificar, este enclave de Roriz (Travessa do Outeiro e Viela do Outeiro) existe e está encerrado nos limites geográficos de Galegos (Santa Maria), mais concretamente na Rua dos Sobreiros e Travessa dos Sobreiros, como as fotos documentam, pelo que apelo à Junta de Freguesia que tenha este facto em atenção e não descure a sua existência, resgatando-o à usurpação de Roriz.
Infelizmente esta situação também acontece nos limites com Manhente, na zona do loteamento da "tulipa", mas aí há um litígio entre Juntas de Freguesia que ainda não permitiu a resolução do assunto das estremas. 
enclave", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/enclave [consultado em 10-01-2017].

3 comentários:

Daniela Sofia disse...

Muito bom dia. Eu queria saber quem lhe deu autorização para fotografar a casa onde moro e publicar essas mesmas fotografias? É PROPRIEDADE PRIVADA!! Mais lhe digo que a carta que nos foi enviada com esta notícia nada nos diz de novo e parece-me mais um golpe para tentar fazer publicidade ao seu blog.

As únicas vezes que a Junta de Freguesia de Galegos quis realmente saber da nossa existência foi quando colocaram uma placa, SEM AUTORIZAÇÃO E SEM MAIS TARDE AVISAR, com nome da rua e número da porta, o que fez com que toda a correspondência a nós dirigida não viesse parar às nossas caixas de correio. E as outras vezes que alguém de Galegos aparece é para PEDIR DINHEIRO PARA AS VOSSAS FESTAS.

Mais acrescento que quando a minha família precisou da vossa ajuda mandaram-nos ir à Junta de Roriz resolver o problema, que prontamente se disponibilizou a ajudar-nos e assim o fez.

Para acabar tenho apenas mais uns pontos a abordar: quando fui ao Dia da Defesa Nacional o meu nome não estava na lista dos moradores de Galegos mas sim na de Roriz e quando temos de votar vamos sempre à Junta de Roriz pois lá podemos votar.

Não queremos fazer parte dos vossos jogos políticos pois a Junta de Freguesia de Galegos NUNCA NOS AJUDOU EM NADA.

Atenciosamente
Daniela Correia

Francisco de Sousa disse...

Cara Daniela Sofia, em primeiro lugar não publiquei nenhuma foto da vossa casa e depois aproveito para vos dizer que sim, têm muita razão quando dizem que as Juntas anteriores nunca quiseram saber da vossa existência.
Foi um dos grandes erros cometidos por todas as Juntas de Galegos, que nunca souberam olhar para os Lugares do Outeiro e Arrabalde como fazendo parte da freguesia, Não é pois de estranhar que as pessoas e as Juntas de Roriz se tenham assenhorado, aos poucos, de uma grande área do território de Galegos com desinteresse e desdém daqueles que estiveram à frente dos destino de Galegos (Santa Maria).
É por isso que compreendo a v/ repulsa e mágoa pela forma como foram tratados no passado, mas isso não invalida que sejam parte integrante de Galegos (Santa Maria), que têm as v/ casas implantadas em Galegos (Santa Maria) e que, quer queiram ou não, a v/ situação é ilegal face ao direito administrativo.
A actual Junta de Freguesia de Galegos (Santa Maria) já deveria ter resolvido o v/ caso de uma vez por todas, até porque tem capacidade para isso ao nível da distribuição postal. Eu próprio darei conhecimento deste facto ao Presidente, esperando que seja resolvido com base na legalidade e não no atropelo constante que essa estrema tem sofrido ao longo dos anos, em especial desde 28 de Abril de 1925.

Francisco de Sousa disse...

Daniela Sofia, em relação ao Dia da Defesa Nacional não é de estranhar que tenhas ido por Roriz, com certeza que terás nascido em Roriz e os teus pais fizeram questão que fosses registada como tal. Além disso, estiveste a morar em outra parte de Roriz e só há uma dúzia de ános é que mudaste para a actual morada.
No caso de dos peditórios, é muito normal que eles apareçam, afinal essa área faz parte de Galegos (Santa Maria).
Quanto ao "quando temos de votar vamos sempre à Junta de Roriz pois lá podemos votar" isso é normal, porque vocês têm o cartão de cidadão com a v/ morada indevidamente registada em Roriz (Travessa do Outeiro), por isso é normal que votem em Roriz.
De resto, eu compreendo a v/ parte neste assunto, percebo o desconforto e a desilusão em relação ao tratamento dado pelas Juntas de Galegos (Santa Maria), mas nada disso invalida a circunstância de estarem em Galegos (Santa Maria), e disso não se podem esquecer.