Eu digo NÃO!

Em defesa da língua portuguesa, o autor deste blogue não adopta o "acordo ortográfico" de 1990 por este ser inconsistente, incongruente e inconstitucional, para além de, comprovadamente, ser causa de crescente iliteracia em publicações oficiais e privadas, na imprensa e na população em geral.


04/05/2009

Mais um peditório?

O sistema computorizado do toque dos sinos da igreja paroquial está, desde Dezembro passado, queimado, e segundo parece serão necessários uns cinco ou seis mil euros para o reparar, a crer pela informação disponibilizada no boletim paroquial para a semana de 4 a 10 de Maio de 2009.
O assunto foi levado ao CPP (conselho pastoral paroquial) de 26 de Abril, de onde apareceu a "brilhante" ideia de enviar envelopes para as famílias a dar conta do problema e a pedir a sua colaboração monetária, segundo as suas posses e generosidade, para o resolver.
Mas será que não há outra forma de resolver o problema sem que tenham de chatear as famílias com mais um peditório, para mais numa altura em que tanto se fala de crise e as famílias vivem necessidades?
Será que não há outro meio de contornar a situação ou fórmula de financiamento que permita realizar a reparação sem chatear as famílias?
Um dia destes li num jornal nacional ou regional, não tenho a certeza, que um pároco de uma paroquia está a criar um fundo financeiro com o dinheiro que recebe das missas, com o objectivo de construir um centro de apoio e solidariedade para os idosos da sua paróquia, ora todos nós sabemos que a paróquia de Galegos Santa Maria financia largamente certas instituições e institutos religiosas com os dinheiros de missas plurintencionais, de aniversário, de ofertas para missas por alma do falecido, das esmolas de alminhas e de outras que não podem ser celebradas na paróquia por excesso de procura, são largas centenas de euros que daqui saem mensalmente e que muito jeito dariam nesta ocasião.
A paróquia não está em condições de desperdiçar dinheiro, mandando-o, nomeadamente, todo para a diocese, esta seria a maneira mais prática e simples de amealhar fundos para a prossecução de obras, benfeitorias e pagamento de actos ligados à igreja.
Ou será que não, e os paroquianos é que têm obrigação de pagar tudo?
Deixo à vossa consideração.

44 comentários:

André Daniela disse...

realmente tem toda a razao e já sei que dentro em pouco tempo iremos começar a ouvir nos sermões da missa: "...é necessário dinheiro, todos temos de colaborar... dinheiro... blá, blá, blá, dinheiro..."!!!!1
mas será que pelos menos não existirá um aparelho mais barato? já terão pensado em procurar bem, talvez na internet? :) ou será que essa dita máquina já vem aconselhada por alguém que normalmente tem grandes planos (pessoais) para a freguesia? ;)

é que já estou a ficar farto de ver projectos para a freguesia que afinal não passam de falsas promessas e interesses pessoais (tal como no resto do país infelizmente), chega!!!!
essas pessoas já ganharam o suficiente, se neste caso a Igreja precisa de dinheiro para isto então que faça como algumas associações: realizam actividades para pagar os seus projectos, e o dinheiro que o bom povo de Galegos já oferece chega perfeitamente para isto e muito mais...

Anónimo disse...

quem sugeriu o peditório? não basta falar por meias palavras, digam nomes. essa(s) pessoa(s) justificou qual a razão para se arranjar dinheiro através de peditórios? justificou se existe outra alternativa? caso a resposta seja não, sugiro que quem tenha sugestões diga publicamente. Será que na tal reunião alguém mais falou? acredito que a fabriqueira tenha dinheiro, pode é não chegar. Caro comentador "andré daniela", que eu saiba algumas associações (de galegos) também fazem peditórios pela freguesia aquando das celebrações para a comunidade (ex. Natal). essas tais actividades de que fala para conseguir dinheiro (ex. feiras com porco no espeto) são apenas para ter dinheiro para passeios dos membros (por exemplo). Portanto, se o sino é de todos e para todos, todos devem colaborar; não digo que seja necessário fazer um peditório especial, mas pode perfeitamente ser do ofertório habitual das missas (juntando vários domingos vai dando para pagar aos poucos). Quanto aos interesses pessoais de que fala, acredito que também existam, mas não será assim em muitos locais e associações? Contudo, também há pessoas boas que apenas querem ajudar a freguesia a melhorar. Mas é certo que alguns desses interesses pessois de que fala serviram para melhorar a freguesia em vários aspectos, uma das mais desenvolvidas de barcelos.

CC

Sousa disse...

CC?!
Porque é que nao escreves o teu nome? MEDO????!!!!

Concordo com o texto do blog...

Anónimo disse...

Concordo na íntegra com o texto do blog

Só para clarificar ideias, e não querendo tornar isto pessoal, acho que a única pessoa que não se identificou devidamente foi o/a senhor/a "CC" pois penso que o leitor "andré daniela" já está bem identificado...

Quanto às actividades e peditórios que "CC" refere que determinadas associações realizam , só tenho a dizer que cada associação tem uma ou várias funções na comunidade que muitas vezes não se tornam visíveis aos olhos dos mais desatentos e essas actividades servem não só para recolher fundos para actividades posteriores, como também proporcionam sempre algo em troca à população que colabora com as ditas associações

Acho bem que toda a população contribua para a aquisição do material necessário, pois isso é para uso de todos, apenas acho que existem outras formas que possam recolher fundos e ao mesmo tempo "oferecer" algo em troca à população.

Os peditórios das missas também são uma excelente opção...


Daniela

Anónimo disse...

Neste caso nem concordo totalmente com o texto do senhor Francisco de Sousa nem com a ideia do peditório. Penso que isso ficou claro no meu comentário em cima. Cada um tem a sua opinião. O senhor Francisco deu a sua e o senhor/a André Daniela também, e eu não concordei com tudo o que disseram, tal como não concordaram comigo. Não vim cá ofender ninguém, apenas dei o meu ponto de vista. Penso que este é um blogue informativo mas com muita opinião e acho muito bem que assim seja. Apenas discordo que escreva as coisas sempre com tom irónico como por exemplo "brilhante". Todos falam, todos gostam de dar ideias, e nem sempre são as mais acertadas é certo, mas por vezes a(s) pessoa(s) pode não ter pensado de outra forma. Se o senhor esteve nessa reunião penso que seria bom dizer qual a justificação que foi dada pela pessoa que teve esta ideia. Não há outra forma de angariar fundos mais depressa? quais são as soluções? Ninguém fez estas perguntas na reunião? ou não está escrito no boletim? quem visitar este blogue fica com a percepção de que esta pessoas ou algumas pessoas só querem o seu próprio proveito. talvez sim, talvez não. eu não sei. eu não tenho medo de nada, cada um assina como quiser e se quiser. e se eu estivesse totalmente de acordo com o seu comentário perguntava se tenho medo? humm, acho que não!!
Cara Daniela, ainda bem que galegos tem muitos movimentos e associações, pois todas contribuem para que seja uma freguesia activa. mas falo do que vejo, pois quase todos os movimentos e associações fazem peditórios. E por que não essas associações de jovens, escuteiros, grupos corais, galo novo, população, fabriqueira e pároco organizarem feiras, comes e bebes, jogos sem fronteiras, sorteios, etc, para juntar dinheiro? entre todos custa menos. Só é necessário que se cheguem à frente. Mas atenção: nada de interesses pessoais para as associações. Fica a ideia!!

CC

Anónimo disse...

"E por que não essas associações de jovens, escuteiros, grupos corais, galo novo, população, fabriqueira e pároco organizarem feiras, comes e bebes, jogos sem fronteiras, sorteios, etc, para juntar dinheiro? entre todos custa menos. Só é necessário que se cheguem à frente. Mas atenção: nada de interesses pessoais para as associações."

Estamos de acordo neste ponto e foi a esta a ideia que quis passar e penso, por aquilo que li, que também foi a ideia do comentador "andré daniela".Acho que qualquer uma das associações estaria de acordo em ajudar sem obter qualquer tipo de lucro pessoal, aliás como por diversas vezes já o fizeram noutras situações.

Daniela

Anónimo disse...

Desculpe, mas não concordo que no comentário de André Daniela passe essa ideia e mensagem. Apenas está escrito que estão fartos de promessas e interesses pessoais. Se teve a mesma ideia que eu devia ter dito claramente. Mais uma vez ficou provado que o importante é falar e dizer o realmente se pensa e dar ideias para melhorar. Não basta criticar. é assim que eu penso e tento agir desta forma. Sempre que posso ajudo por gosto no que for preciso. É necessário que todos os grupos e associações estejam em sintonia e não em guerra como acontece por vezes, por culpa das duas partes. Basta de divisões e de fazer tudo para ser melhor e ter mais do que o outro, principalmente quando a finalidade é a mesma: unir cada vez mais a paróquia e as pessoas da freguesia. Desde já quero dizer que não pertenço a nenhum movimento, mas como já referi, ajudo todos sempre que posso. Tenho dito!

CC

Jose Esteves da Faria disse...

estou sempre vigiando que acontece da minha freguesia, e o senhor Francisco Souza, esta´certo. O povo merecia ter um vigário mais respeitável, ele está sempre recebendo, nada ele faz de graça, para onde vai o dinheiro, será que está em crise, como muitos estão. Tudo que estão falando, não sabem, mas o clero só visam seus interesses, e será que o sino faz tanta falta assim? antigamente me lembro que o pároco fazia isso no manual. abraços a todos, mesmo não concordando comigo, eu amo Galegos.

Vitor Silva disse...

antes de mais, quero felicitar o autor deste blog, blog esse que possiblita que sejam discutidos temos de interesse de todos os cidadãos de galegos sta maria ... quanto ao tema aqui discutido, os sinos, eu tenho noção que devem ser maquinas bastante caras e que nos tempos que correm os habituais mecanismos de angariação de fundos, como peditorios, patrocinios etc., não sejam tão eficazes como em tempos o foram, assim sendo, é normal que possamos por em causa varios aspectos, sera que é necessario ja!?, sera que não podemos esperar mais um pouco e com esse tempo conseguirmos angariar fundos com a ajuda de todos, fundos esses angariados com mais tempo, de forma mais suave para que não se cometa o erro de subcarregar as familias, as associações etc ... isto é possivel se todos fizermos por isso, a igreja é de todos, todos usamos, todos devemos contribuir, mas também concordo que devam ser criados outros mecanismos para a angariação de fundos sem ser o tradicional peditorio, esses mecanismos existem, varias associaçõs os utilizaram com sucesso, apenas temos que aprender com os bons exemplos, e para ter bons exemplos não precisamos de sair da nossa freguesia :) ...

quanto ao assunto paralelo que aqui foi criado, em primeiro lugar gostaria de dizer que estamos aqui para falar de sinos, e que eu saiba, os "escuteiros, o coral, o materday o grupo de jovens, a associação galo novo etc, etc" não são sinos, plo menos não têm aspecto disso, e se existe alguem com duvidas quanto à devida canalização dos fundos recebidos atravez de peditorios por parte das associações para eventos da paroquia, essas duvidas devem ser colocadas junto das direcções dessas mesmas associações... qualquer associação minimamente organizada deve possuir um relatorio anual de contas, dado esse facto, todos os dinheiros gastos e ganhos possuem uma justificação associada, uma associação que se prese certamente tera em sua posse toda esta organização ... mas, uma coisa eu tenho a certeza, nos tempos em que estamos, os dinheiros do associativismo mal chegam para pagar despesas, e meus amigos, nos tempos em que estamos, qualquer grupo se quer dar um passeio, ou ter qualquer atividade ludica certamente o fazem com dinheiros dos seus bolsos, dos seus elementos e não com ofertas, porque é assim que tem que ser, e quem anda num grupo ou associação da freguesia é para ajudar galegos a crescer e não o contrario ... o mal não é das associações nem dos seus elementos, o mal é de quem anda por fora a insunuar, a mal dizer... das duas uma, ou di-lhe qualquer coisa, ou então não tem mais nada que fazer ... :)

abraços para todos...

Anónimo disse...

6000 euros a dividir por todos os fieis deve dar um valor pequeno. É só fazer as contas. Devem ser mais solidários, os membros dos grupos organizam actividades para angariar "euros/fundos/dinheiro" paras as suas próprias actividades. E quando se trata de algo que é para todos ninguém, melhor, poucos querem saber.

6 mil euros a dividir por cerca de 3 mil habitantes (se todos forem fieis)... resultado 2 euros.

Tenho dito

Anónimo disse...

Caro "anónimo", concordo consigo. Se todos ajudarem custa menos. Quanto ao senhor Vitor Silva, tenho a dizer que as associações não são os sinos, tem razão, mas fazem parte da igreja, fazem festas relacionadas com a igreja e participam e dizem-se como grupos de igreja. Como tal, devem ajudar. Não disse que devem tirar dinheiro do seu bolso, mas sim fazer actividades, participar e por os pés ao caminho para angariar fundos; nem que se demore dias, meses ou anos para conseguir os mesmos. Muitos dizem que os sinos podem esperar, mas no fundo acham mal que não toquem para o que for preciso. É muito bonito falar em contas e que qualquer associação apresenta as suas, mas quando se trata de dinheiro dizem sempre que nunca chega. Não fui eu que comecei com esta conversa sobre a forma como as associações arranjam dinheiro. Apenas disse algumas verdades que certamente algumas não gostaram de ouvir. Acho é que já chega de muitas pessoas e associações ou grupos, chamem como mais vos convém, falarem mal da igreja, do padre e das pessoas que nela trabalham e depois dão palmadinhas nas costas e pela frente dizem amén. Chega disso. Quem não concorda com as coisas tenta mudar a bem. Aqui neste caso, só vai contribuir quem quiser, e que eu saiba ninguém vai ser obrigado. Agora os grupos se estão assim tão preocupados basta ajudar, serem bondosos e não fazer só o que convém. Tenho ainda a dizer-lhe que tudo isto me diz alguma coisa pois preocupo-me com o que se passa. Tal como você veio cá e comentou e deu o seu ponto de vista eu fiz o mesmo. Não sei porque ficou ofendido. Basta de guerras entre algumas associações e grupos, pois sabe muito bem que existem. Quem está atento ao que se faz na freguesia e o que as várias associações fazem sabe perfeitamente que a maioria são bem feitas, mas sabe muito bem que estas guerras existem, bem como a disputa do "eu fiz melhor". Já que fala em bons exemplos dentro da freguesia, basta que esses continuem e que todos trabalhem para os alcançar. Tenho a certeza que se assim for a questão dos sinos fica resolvida. Para terminar quero só dizer que nem só o que fazemos está certo, o que os outros fazem também tem valor e devemos respeitar para que nos respeitem a nós.

CC

Anónimo disse...

Onde todos ajudam, nada custa e certamente que o peditório que será feito não chegará para pagar os sinos...

Mas então porque é que não se faz na mesma o peditório e algumas actividades para se angariarem fundos ?! As duas podem ser feitas porque nenhuma delas, individualmente, conseguirá atingir os valores pretendidos!

Para quem não sabe, o que me parece muito óbvio, já houve associações que contribuiram para a ajuda dos sinos...

Muita gente fala daquilo que não sabe e por isso, não deveriam afirmar coisas das quais sabe não está inserido!

Cada grupo/associação tem os seus objectivos e sabe o que tem realmente a fazer com os seus fundos. Quem tiver alguma dúvida/problema pode sempre contactar o pároco ou o grupo em questão!

Marta Silva

Vitor Silva disse...

caro sr. "cc" ... tem toda a razão quando diz que todos devem contribuir, tanto as pessoas como as associações, afinal somos todos utilizadores da paroquia ... mas tudo isso eu disse no meu post anterior, o senhor é que não entendeu assim ... como disse o sr anonimo, 6000€ a dividir por todos as pessoas desta freguesia mais as associações, em pouco tempo temos sinos novos na igreja sem problemas nenhuns ... o problema é que neem todos entendem isso, esse é o problema ... eu contribuirei certamente, porque sei que é um dever civico que tenho, mas nem todos assimentendem... quanto as associações, eu dei o meu ponto de vista, mas acho que as discuções sobre a vida delas tem lugar proprio para serem feitas e pelo menos nesse lugar podemos ver a cara de quem pergunta e saber com que intenção pergunta, aqui, por vezes nem o nome conseguimos saber, novas tecnologias assim o possiblitam ...

abraços para todos :)

Anónimo disse...

Mas eu não sei porque razão algumas pessoas ficaram tão chateadas. Apenas referi que algumas associações também fazem peditórios para determinadas festas e actividades da paróquia. E organizam outro tipo de eventos com a finalidade de angariar dinheiro para o grupo, por exemplo para passeios, acampamentos, convivios, material etc... São coisas completamente diferentes. Que eu saiba nunca disse que o dinheiro dos peditórios para uma festa ou actividade foram gastos nos passeios. Aliás nem disse nem insinuei tal coisa. Seria muito desagradável se algo desse género tivesse acontecido. E também não sou contra que se angariem fundos através de feiras para as associações, porque quem compra e ajuda sabe perfeitamente qual a finalidade e só compra e ajuda se quiser. Por esse motivo não preciso de verificar nada com o pároco nem com as associações. Cada associação deve ter consciência do que faz e respeitar quem as ajuda. Acredito que é assim em Galegos. Volto a lembrar que apenas respondi ao comentador André Daniela pelo facto de ter dito "se neste caso a Igreja precisa de dinheiro para isto então que faça como algumas associações: realizam actividades para pagar os seus projectos", pois sabe tão bem como eu que as associações não realizam apenas estas actividades mas também peditórios. Se algumas associações já ajudaram de alguma forma na reparação dos sinos os meus parabéns.
Tenho dito!!

CC

Anónimo disse...

"li num jornal nacional ou regional... criar um fundo financeiro... com o objectivo de construir um centro...e solidariedade para os idosos...nós sabemos que a paróquia de Galegos Santa Maria..."

Um fundo financeiro para apoio aos idosos. Galegos Santa Maria já podia ter esse espaço de apoio aos idosos.
No que se refere a possuir um Centro de Dia, Lar e ATL existem muitas terras que já "PAPARAM" Galegos Santa Maria, É VERDADE, ABRAM OS OLHOS. Galegos ainda não possui essa valências porque não quis, transformaram o que devia ser Centro de Dia, Lar e ATL em Centro Paroquial. É ou não verdade? Quem foi? Um dos motivos porque o "parolo" diz que não dá mais um euro para isto ou para aquilo é porque se pensou demasiado nas OBRAS e em defeito nas PESSOAS, para além de não fazerem aquilo a que se tinham prometido, Centro de Dia... e não Centro Paroquial...

Centro Social: "250 euros por cada eleitor" NEM PENSAR. E o Estado Central, quanto vai contribuir. 370centros em todo o país e em Galegos, vamos pagar a factura em cheio, PAROLOS QUE SOMOS. Isso sim é tema de debate. Agora a falar aqui de amendoins, pagas tu, pago eu, deu o grupo A, deu o grupo B, fazemos um peditório.
6000 euros em 500 000 euros, custo estimado do Centro Social. PAROLOS QUE SOMOS.

Tenho dito.

Anónimo disse...

Que eu saiba, o centro social não tem nada a ver com a Igreja. As pessoas é que confundem as coisas. Metem sempre a Igreja ao barulho em tudo. O centro paroquial foi construído com uma determinada finalidade. Não se pode vir agora dizer que o centro paroquial deveria ser o centro social e que foi transformado em paroquial. Quando foi construido nem se pensava ainda em centros sociais. Lá porque vai ser construido num local da igreja, ou dizem que vai, não se pode confundir as coisas. Pois é verdade, tem toda a razão quando diz que outras freguesias "paparam" galegos. Por culpa de quem? De todos que sempre se borrifaram para o centro social e não ligaram em tempos nenhuma à associação galo novo. Aqui foi discutido o arranjo dos sinos da igreja. Portanto este é um assunto de igreja, completamente diferente de centro social. São dinheiros completamente diferentes.

Anónimo disse...

Bom dia. Tenho lido o seu blogue e salta-me a vista a sua implicância para com a igreja e para com o pároco. Desta vez é devido ao sistema computorizado.. Bem, quanto a ideia que foi lançada no CPP, penso que foi a possível que, quem esteve presente, conseguiu alcançar. Quanto a sua ideia, ate que poderia ser viável, mas será que ninguém se lembrou dela antes? será que ate já não foi proposta? Se bem me lembro ja se realizaram obras para fins religiosos na nossa paroquia que foram muito mais dispendiosas do que esta que se esta a falar.. Se fosse possível porque é que já não se teria feito esse "desvio" e assim as famílias não teriam gasto tanto, por exemplo nas obras da igreja como da capela de S. Joao?
Quanto aos comentarios que foram feitos em relaçao a este tema, a primeira palavra vai para o senhor Sousa, apenas tenho a dizer-lhe que estamos num pais livre e cada um pode omitir o seu nome e expressar livremente.. para que quer saber o nome? altera alguma coisa se souber?
Em relação ao Sr. José Esteves da Faria, você faz alguma coisa de graça? Vivemos no tempos do Magalhães e vamos puxar o sino a corda? Andamos como o caranguejo?
A minha sugestão é simples, quem tiver ideias viáveis que as exponha aos responsáveis, pois assim deixaremos de apenas falar e deitamos mãos a obra.
Bem ajam!!!
DD

Anónimo disse...

É assim mesmo! Concordo consigo DD. Já basta de implicar. Muitas pessoas não fazem nada pela Igreja e nem participam nos actos religiosos e estão sempre a insinuar que tanto o pároco como quem tem ideias e trabalha para a Igreja estão apenas à procura de dinheiro e que tudo isso é para satisfazer os seus interesses pessoais, como disse o comentador André Daniela. Se acham que o senhor fala demais em dinheiro porque não lhe dizem isso directamente? Pois tenho a certeza que aceitaria as mais diversas opiniões. Basta de criticar pelas costas e depois pela frente vão à casa do padre comer e beber quando ele convida as pessoas e associações como forma de agradecer por pensar que estes estão ao serviço da igreja. Mais ainda, já vi em alguns sítios da internet fotografias do padre com comentários absurdos e mal educados. Penso que algumas pessoas passaram os limites e depois tentam passar lições de moral aos outros. Quem quiser que enfie o barrete pois sabe muito bem do que estou a falar. Basta disso. Tenham vergonha e respeitem todas as pessoas, pois todos somos seres humanos com virtudes e defeitos. Quem é católico pode muito bem escolher a freguesia ou igreja onde quer participar e dar dinheiro ou ajudar de outra forma. Não tem que ser na freguesia onde vive.
Para o autor do blogue, tem todo o direito de dar a sua opinião em relação aos actos e dizeres das pessoas que bem entender, desde que nunca falte ao respeito à pessoa em questão e à verdade, respeitando a opinião de todos os que decidem comentar o seu texto.

Cumprimentos..

Francisco de Sousa disse...

Dois esclarecimentos:
"Tenho lido o seu blogue e salta-me à vista a sua implicância para com a igreja e para com o pároco", sim é verdade, passo o tempo todo a implicar e a demonstrar o meu "ódio", "rancor" e "revolta" contra o pároco e com a igreja. São já 189 mensagens só a falar do assunto,a denegrir a sua imagem e a da igreja num combate sem tréguas...
"Para o autor do blogue... e dizeres das pessoas que bem entender, desde que nunca falte ao respeito à pessoa em questão e à verdade, respeitando a opinião de todos os que decidem comentar o seu texto", ora nem mais, é o que faço, o que tenho feito até agora, lancei os dados e depois cada um deu a sua opinião. Nunca por nunca faltei ao respeito a ninguém, apontem alguma situação. Tanto é verdade que me manti fora dos comentários e só agora é que decidi responder para realçar esta parte que me parece importante.
Quando decidi publicar esta mensagem, para além de a publicitar e dar relevância, não me coibi de opinar e oferecer a minha visão sobre o assunto, não insultei nem ofendi ninguém, os meus princípios não são esses, mas não pensem que deixarei de mostrar ou publicar aquilo que penso sobre os temas, factos e acontecimentos que por cá se desenrolarem.
É certo que não frequento a igreja, só em raras e especiais ocasiões, mas posso dizer àqueles que se sentem guardiões do catolicismo, que as pessoas em Galegos deixaram de escutar e ligar ao que o padre Araújo diz, está tudo farto de ouvir as ameaças constantes aos crismando e catequizandos. Não é preciso ser vidente para adivinhar o futuro desses jovens, que em vez de serem conduzidos de forma prática e sem grandes formalismos doutrinais à semelhança do que acontece em muitas paróquias vizinhas, são constantemente violentados e massacrados com reuniões, missas, marcações de presenças, ameaças, etc, etc que acabarão por afastar essa juventude da igreja logo que conseguirem o crisma.
Para acabar, a maior parte daqueles que frequentam a igreja, fazem-no só para ficar de consciência tranquila com relação ao cumprimentos do preceito dominical, não se chateiam, não querem saber, tanto se lhes dá como se lhes deu, entram mudos saiem surdos e nem se importam com o que se passa, para quê arranjar problemas?

Anónimo disse...

Pois deve saber também que o padre teve outro tipo de formação muito diferente da que agora se faz. Mas não pode dizer que ele faz isso por mal, penso que apenas no seu entender é a melhor forma. Talvez se alguém quiser falar a bem com ele pode ser que algo mude. Mas também penso que ele tenta agarrar a juventude à igreja, apoiando-os nos diversos organismos que existem. Por vezes esses jovens é que não querem ver isso, talvez por influência dos pais. Se não frequenta a igreja já lhe devem ter dito certamente que muitas vezes é dito que mais vale as pessoas não irem à igreja se não querem saber e se não acreditam. Já ouvi em galegos e noutros lados. A Igreja hoje apenas precisa dos que acreditam e seguem Jesus. Se essas pessoas vão, é porque no fundo acreditam em Jesus e o seguem. Se o senhor não gosta de ir à missa na sua freguesia, mas acredita porque não vai a outro lado? Talvez vá, não sei. Ou então, se não vai porque não acredita por que vai nas festas ou ocasiões especiais? Para dizer que foi? Deus não precisa disso. Cada um toma a sua decisão. Eu vou à missa porque gosto e porque quero. Espero é que quem não acredita respeite isso e que não diga que vou por ir. De uma coisa pode ter certeza, hoje está na moda as pessoas dizerem que não vão e que não acreditam, ou então o problema é sempre do padre. Na minha opinião Galegos tem sorte por ter um padre que está no lugar que está e que faz muito pelas duas freguesias que tem. Se lá chegou é porque teve votos de confiança da parte de muitas pessoas, principalmente de outros padres novos e mais velhos.
Para terminar, quero dizer que sou jovem e fiz o crisma há uns anos, poucos, e mesmo assim continuo a ir à missa.

Tenho Dito disse...

Em resposta ao "anónimo" que escreveu: "Que eu saiba, o centro social não tem nada a ver com a Igreja..."
Que eu saiba nestes comentários comentam-se os "posts" colocados, e bem, pelo Francisco Sousa. E se o Sr.(a) ler até ao final está lá escrito, em forma de sugestão, a criação de "um fundo com o objectivo de construir um centro de apoio e solidariedade para idosos". Pode-se entender que será uma espécie de Centro de Dia, Lar, Cantina, etc...

O mesmo "anónimo" também escreveu: "Quando foi construido nem se pensava ainda em centros sociais". Até podiam não pensar em Centros Sociais com esse nome, contudo a forma/objectivo seria semelhante. Se diz que não pensavam diga-me: quantos anos já fizeram os Centros de Alheira ou Alvito S. Pedro, Pe Abel Varzim. Entre outras instituições fora do concelho de Barcelos que já completaram duas décadas.
Não tente apagar a história, ou desvirtuar, o actual centro paroquial era para ser o que entendemos que é um Centro Social.

Para terminar: "Metem sempre a Igreja ao barulho em tudo": - Só quem anda distraído pensa que a igreja deve ser mantida fora. Sendo uma das instituições com mais poder em Portugal, não pode e não deve ficar de fora, tanto para bem da igreja instituição, para o bem da igreja comunidade paroquial, para bem dos habitantes e dos paroquianos, ficou a distinção entre paroquianos e habitantes. Tanto não pode e não deve que é provavel que o Centro de Dia venha a ser construído em terrenos da igreja, tal como o Sr. (a) escreveu. Se a igreja está metida ao barulho, está e está bem onde está.
"sempre se borrifaram para o centro social e não ligaram em tempos nenhuma à associação galo novo" Ou faltou talento e habilidade à Galo Novo para reunir quem precisava de volta dela, vale a pensa pensar nisto.

Mãos à obra, que se faz tarde.

Tenho Dito

Anónimo disse...

"Mãos à obra que se faz tarde" - pode sempre ser o primeiro(a) se acha que ainda mais ninguém fez nada! Quanto à associação galo novo, penso que sempre teve talento e habilidade para reunir as pessoas que queria, mas por culpa de quase todos os habitantes que nunca quiseram saber das vantagens do centro social isso não foi possivel. Ao contrario do que aqui já foi referido num outro post de opinião sobre o centro social, a igreja não está contra. A meu ver está a fazer de tudo para que se possa construir num local que pertence à Igreja, já que quem dispõe de terrenos e que os pode vender, ou até mesmo "quase" dar, não o quer fazer. É normal que a Igreja queira ter certezas do que lá vai ser construído. Você também não gostava se desse um terreno e passados uns anos em vez de um centro social tivesse uma discoteca ou uma fábrica. É assim em todo o lado. Na minha opinião não se pode é pensar que a Igreja por ter dinheiro e o poder que tem tenha que fazer e financiar tudo. O centro social é para crentes e não crentes. O Estado também deve financiar; ou para que servem os nossos impostos?

Está dito!!

Francisco de Sousa disse...

Caro "Anónimo".
Conheço muitos padre que tiveram outro tipo de formação, igual ou semelhante, e se adaptaram, se vão adaptando ao longo da vida, isso não é desculpa para ninguém...
Não querendo prolongar o debate indefinidamente no tempo, um conselho. Vá até à igreja de Santo António, em Barcelos, e veja a diferença abismal que existe entre a paróquia de Galegos e dessa comunidade. Aliás, nem precisa de ir tão longe, basta ficar por S. Veríssimo, escutar o Padre Manuel, sensivelmente da mesma idade do que o Padre Araújo, e depois diga alguma coisa!
Numa coisa lhe reconheço o mérito, é ter conseguido, mal ou bem, o apoio dos diversos grupos que animam as eucaristias, em particular o ex-Grupo Musical, espectáculo!
Por fim, respeito a sua crença, não tenho nada com isso, mas de uma coisa pode estar certo, não será melhor pessoa do que eu só por acreditar, frequentar a igreja ou até comungar, é que para além de ter tido uma formação católica, o humanismo é a base da minha formação básica, e isso chega.
Tenho dito.

Anónimo disse...

Sr. Francisco Sousa, acerca do que escreveu"sim é verdade, passo o tempo todo a implicar e a demonstrar o meu "ódio", "rancor" e "revolta" contra o pároco e com a igreja. São já 189 mensagens só a falar do assunto,a denegrir a sua imagem e a da igreja num combate sem tréguas...", apenas lhe tenho a dizer que existem inúmeras formas de se justificar, mas usar sucessivamente a ironia não me parece o mais correcto para o administrador do blogue. Em relação aos seus 189 mensagens, diga-me quantas escreveu sobre a igreja e que não a tenha difamado?
Bem ajam!!!
DD

André Daniela disse...

Quero desde já dizer que o debate neste post já vai longe do tema em questão, mas também reparo que é o único post em que mais pessoas deram a sua opinião, o que é bom sinal pois parece que surgiu um tema "quente" para falar e que os internautas de Galegos afinal estão mesmo interessados no futuro desta nossa grande freguesia, estamos todos de parabéns.

Outro assunto que quero referir é sobre estes ultimos comentários que interrogam o autor deste blog sobre a sua tendencia em criticar a Igreja, ora que eu saiba os blogs servem para isso mesmo, para cada um de nós exprimir a sua opinião sobre qualquer tema ou assunto sem qualquer restrição ou condenação, tal como quem depois comenta e opta por se identificar ou não, para isso felizmente temos a democracia e a liberdade.

Quanto ao tema em questão, ao qual eu fui o 1º a comentar, gostaria de acrescentar que espero que seja encontrada uma solução que seja rentável para todos nós e que não resulte em mais conflitos entre os cidadãos desta terra.

André Santos

Jose Esteves da Faria disse...

Só tem anónimos !!, gente na democracia não existe isso,cada um tem seu carma,e o assunto é angariar os seis mil euros para consertar o sistema dos (SINOS), como o S.r Francisco de Souza relatou. Num tempo de vacas magras em que não só Galegos como Portugal inteiro em que todas as familias tem pessoas desempregadas, o ideal não existe,em se tratando de sair dinheiro do bolso, e quem o tem não se esnoba. Como o senhor Araújo tem a profissão de padre, visa seu lado como do bispo que envia para o vaticano, ora todos sabem disso, e o dinheiro que ele arrecada não divulga, porque o clero não dá satisfações ao povo, mas uma reserva teria que ficar para essas eventualidades,ou o povo tem essa obrigação? Hoje a informática dá acesso à igreja católica, e o clero esta´perdendo muito, para outras igrejas, por isso o pároco deve por obrigação usar mais autenssidade na sua comunidade.Alguem dise sobre meu comentário, e saiba que o caranguejo ele anda conforme sua natureza, e o magalhaães por benefício próprio, que já nasceu errado, e dando uma esmola, ou um dízimo é trabalho gratuito, e saiba que naquele tempo, meu irmão anónimo, o pároco era feliz, ele tinha prazer em puxar o cabo do sino, claro que tempos mudaram, e podes estar certo, que o conserto vai ser realizado, sabe como rachar ao meio, o clero entra com metade e o restante fazer uma lista, e cada contribuinte assinar a sua oferta, e quem sabe o senhor padre, começando. E a junta da freguesia? fica isolada neste sistema de beneficio!! MÃOS A OBRA, e deixem de ser anónimos, assumam o que suas mentes traduzem
Por galegos
abraços

Sousa disse...

Bem, tenho seguido estes comentários ao longo dos dias e quero dizer uma coisa. Sou o filho do administrador do blog e, acho que está a fazer um excelente trabalho ao relatar o que de melhor e/ou pior se faz aqui em Galegos Santa Maria. Primeiro quero dizer que os senhores "anónimos" que têm andado por aí a "implicar" (desculpem a palavra), se quisessem ter algum respeito por quem está diariamente a pesquisar e tentar encontar alguma coisa de interessante e que seja motivo de grande importância nesta freguesia, já teriam tirado as "máscaras" que trazem ao assinarem com "anónimo", com iniciais ou com outro tipo de "nomes", que dão a impressão de que nao estão a levar em consideração ou a levarem o assunto a sério. Depois, o que administrador do blog escreve e deixa de escrever no blog é com ele. Pode fazer isso e tem poder para tal, visto que estamos naquilo a que se chama, uma sociedade livre. É a opinião dele, as coisas vistas da perspectiva dele e aquilo que ele acha sensato colocar no blog, tal como todos vocês que comentaram o fizeram. Ora, se não está de acordo com o que vê se feito, é natural que o exponha e que desta forma tente "mostrar" aos outros, outras maneiras de as coisas serm feitas...
Quanto á questão de ele falar contra a Igreja e que inclusive, até houve "alguém" que o acusou de em todas as 189 mensagens do blog ter "deitado a Igreja a baixo" acho que isso é relativo. Pode mostrar coisas boas, como coisas más. Ora por exemplo, se num dia só acontecesseem coisas más na paróquia, é claro que o homem não ia relatar acontecimentos bons! Isso fica dependente da ocasião e das pessoas que estão á frentedas coisas. Quanto ao facto de o Administrador não ir á missa e passar algumas mensagens sobre tal, é claro que devia pelo menos estar presente na missa Dominical todas as semanas, disso estou de acordo. É como se alguém falasse de futebol, se já nao vê futebol há algum tempo e baseia-se na opinião e relatos dos outros para falar sobre o dito desporto. Por isso paizinho, atenção...!!!

abraços,
Xavier Sousa

Anónimo disse...

Muito bem, mas por que fica tão indignado pelo facto das pessoas não assinarem? Possivelmente se essas pessoas estivessem de acordo com a opinião do seu pai não se queixaria por serem "anónimas". Cada um comenta o que quiser e dá a sua opinião e tem direito a assinar ou não. Goste ou não goste. Cá para mim, algumas das pessoas que assinam quando estão de acordo com a sua opinião, são "anónimas" quando discordam!!!???

Joana disse...

Sabe qual é o problema com o "assinarem ou não"?
Não é a questão de sabermos quem o faz (isso é uma questão de privacidade, que vem regulada no Código Cívil Português), mas sim pura e simplesmente por se mostrar tão indignado com aquilo que o Administrador escreve e não ter a coragem, e sim, é CORAGEM (para não utilizar termos mais bregeiros), de dar a cara por aquilo que diz. Se cada um tem o direito à sua opinião, então também não tem que ter medo de assumir que é a sua.
O problema desta sociedade é que toda a gente fala, fala, fala, mas na hora da verdade não conseguem dizer "face to face" aquilo que lhes vai na alma. Se fossem verdadeiros o suficiente nem vinham para aqui mandar "bitaites" e falavam directamente com a fonte. Evitavam-se tantas complicações, discussões e mal entendidos...
Não vim aqui comentar o que é escrito no blogue. Como diz uma amiga minha ,"desde o dia 25 de Abril de 1974 que posso dizer aquilo que bem entender".
São opiniões. Felizmente as pessoas não foram todas criadas pelo mesmo molde e pensam e agem de formas diferentes.
Se não está de acordo com o que aqui é dito, muito bem, tem direito a tal. Mas apenas um comentário chega para que se perceba isso. Não gosta, não come.
Quer estar informado e acha que o aqui é dito não chega então procure as suas próprias fontes. Não critique desta forma o trabalho dos outros. Não precisa de andar com respostas, ofensivas ou não. Acho que percebe que, tal como você, as outras pessoas que existem no mundo puxam pelos neurónios.
E chega de "tenho dito's". Está a ser tão bom/boa como as pessoas que critica.

P.S.: O que está em causa não é o serem apenas anónimos a discordar, é a forma como as pessoas falam umas com as outras. Todos gostam de ouvir para corrigir os erros. Façam criticas construtivas.

Joana SOUSA

Fernando P. Macedo disse...

venho nos ultimos dias seguindo este blog, e particularmente este post porque me chamou a atenção ...

em primeiro lugar, não sou residente na vossa freguesia, nem tão pouco do cconcelho de Barcelos.

conheço Galegos sta Maria a muitos anos mas apenas de passagem, mas sempre tive muito boa impressão da freguesia.

dado o facto, não posso, nem devo comentar os vossos problemas de paroquia ou de qualquer tipo de assunto porque não estaria a ser correcto da minha parte, apenas, o que me chamou a atenção é o faco de as mais duras criticas que aqui se apresentam estão em "anonimo" , a minha opinião é a seguinte: em anonimo andavam os comunistas antes de 1974, voces falam aqui muitas vezes em liberdade, mas não entendo a que liberdade se referem quando nem sequer dão oprtunidade de que todos os utilizadores conheçam o vosso nome, eu sei, que a opinião não muda por ter ou não o nome, mas acho que faz parte de uma boa educação civica, não devemos publicar coisas quando não temos coragem para assinar por baixo, para mim é falta de coragem não é o usufruto da liberdade de expressão. Peço desculpa desde ja por me estar a meter num tema no qual não me diz respeito, mas, não gosto de ver pessoas a utilizar o nome liberdade para justificar faltas de coragem e de muitos outras coisas, é que eu ainda vivi no tempo em que quando criticavamos tinha que ser as escondidas, porque haviam "bufos", haviam "escutas" sem nos sabermos onde e como, havia uma coisa chamada de "PIDE-DGS" que espiava todos os nossos passos, ai sim, eu entendia o porque de não publicarmos coisas assinadas, o porque de termos medo de mostrar o nosso nome, pena é que na altura não haviam blogs, nem internet para andarmos por aqui a falar disto ou daquilo. Por isso meus amigos, se querem usufruir da vossa liberdade de expressão como tantas vezes p dizesm, então, utilizem-na com deve ser, façam uso daquilo que muitos em tempos nunca puderam, afirmem-se, digam, falem, opinem, mas assinem, é um direito que tem, é um direito que conquistamos, não se escondam, medo!?, porque?, a PIDE-DGS ja não existem, não tenham medo, o unico bufo que ainda existe por ai ainda é o Jose Socretes, mas não morde ninguem, não se preocupem.

obrigado pela atenção, e desculpem o facto de utilizar um espaço que pertençe à vossa freguesia.

Jose Esteves da Faria disse...

O debate agora são os anonimos, e principal questão ficou flutuando,que é o conserto dos sinos da paróquia, já deixei minha sugestão, ninguem está mais interessado em resolver, só atacar as ideias de cada. Eu já sei qual o problema dos anonimos, estes são amigos do pároco da freguesia, e este sabendo aplicará represálias.Anonimos fiquem sabendo que a inquisição não existe mais, o clero só pode excomungar , a arma soberana para advertir a sociedade.galegos na verdade precisa de um padre jovem, com ideais diferentes para atrair as ovelhas que estão debandando da igreja. Eu fico muito triste ver minha freguesia num problema, e aparece fantasmas anonimos, não tem personalidade, serão voces invejosos do admnistrador, terão voces capacidade para realizar o que ele está fazendo para a relevante obra de comunicação.O peditório é a questão, porque a igreja também deverá colaborar, não só os paroquianos. Que apareça alguem com a solução, são os meus votos.AMO GALEGOS

Joana disse...

Errata:
*brejeiros

Anónimo disse...

Sr. José faria,mais uma vez falando do tema de anónimos? onde esta o problema? você quando vai votar mete la o seu nome? é que parece que saber quem diz as coisas é o que interessa...não deveria ser assim. E quanto ao dizer" naquele tempo", não justifica nem soluciona nada, pois fala-se bem no passado, mas o que acontece hoje de errado, no passado também acontecia, e você sabe bem disso,sim eu sei que você sabe, mas encobria-se as coisas...
e quanto a sua solução para resolver o problema é qual? o padre puxar o sino com a corda? meu caro Xavier Sousa, onde leste que eu disse que o teu pai, em todas as mensagens difamava a igreja? Não confundam as coisas, apenas fiz a questão ao teu pai pela mesma razão que tu escreves no teu post.
E que tal da ideia de nos centramos na ideia inicial e tentarmos encontrar soluções para o tal "problema"?Onde estão essas tais ideias construtivas?
Bem ajam!!!
DD

Anónimo disse...

Caro DD, eles falam e não dizem nada... Se repararem bem nos comentários, quem deu ideias para resolver a questão dos sinos foram os anónimos... mas pelo facto de não concordarem com tudo o que o senhor Francisco Sousa disse e por serem "anónimos" já é apontado o dedo e até mandam piadas de que são os amigos do padre! E se forem qual o problema? Não pode ser amigo do padre quem quiser? Que eu saiba também nem toda a gente gosta de si, e você não gosta de toda a gente!! Mas não é por isso que os seus "inimigos" ou você deixam de ter amigos!! Ninguém aqui tem medo de ninguém, e acho que já chega de criticarem os anónimos. Quase nenhum dos que assinaram souberam dar uma ideia inteligente e facil de concretizar. Só sabem defender o autor do blogue, mas eu já percebi que o senhor se sabe defender sozinho. Se não gostam que os outros expressem a sua opinião contrária não escrevam no blogue. é tão simples quanto isso. Mas enfim...

CC

Anónimo disse...

Anónimo com muito gosto.
Sou anónimo e não tenho medo de represálias.
Talvez quem não é anónimo está aguardando que os anónimos se revelem para poderem passar ás represálias... Ora tomem. A internet permite o anonimato quem não lida bem com isso problema o seu.
Infelizmente não valorizam o trabalho do pároco, é pena. A comunidade de S. António funciona bem. Afirma-se. E a de Galegos funciona mal? E nos arredores a maioria, das paróquias, funciona assim tão bem, ou melhor que Galegos? Não me parece. Amigo(s) do padre, pode dizer-se que sim. Qual é o problema? Vocês não teem amigos? Talvez não, paciência.

Anónimo disse...

Escrito por Tenho Dito
Novamente a sugestão para os mais esquecidos.
"6000 euros a dividir por todos os fieis deve dar um valor pequeno. É só fazer as contas. Devem ser mais solidários, os membros dos grupos organizam actividades para angariar "euros/fundos/dinheiro" paras as suas próprias actividades. E quando se trata de algo que é para todos ninguém, melhor, poucos querem saber.

6 mil euros a dividir por cerca de 3 mil habitantes (se todos forem fieis)... resultado 2 euros."


Tenho dito

Tenho dito disse...

A mensagem "anónimo com muito gosto" foi publicada por:

Tenho dito.

Francisco de Sousa disse...

Pessoal, não está na hora de acabar com os comentários? Isto foi chão que deu uvas, acabou, não é preciso bater mais no ceguinho.
Quem quiser contribuir para o peditório, faça-o, quem não quiser que entregue os envelopes vazios, não se degladiem mais com coisas que não interessam a ninguém...
Um bom dia para todos, crentes, não crentes, amigos de padres ou inimigos, a favor ou contra o peditório, com razão ou sem ela, sejam felizes e aproveitem para fazer feliz alguém.
Um abraço para todos.

Anónimo disse...

Está na hora de deixar de "apontar o dedo" aos anónimos. Não foram os anónimos que alimentaram isto tudo. Apenas deram a sua opinião, utilizando sempre o bom senso, e apenas disseram se concordavam ou não com a ideia do autor do blogue e deram ideias para resolver a questão dos sinos. Outras pessoas que se identificaram é que criticaram e vieram interceder pelo autor do blogue quando este se sabe perfeitamente defender e até o fez. Se por acaso alguma dessas pessoas achou que as ideias dos anónimos são boas para resolver o problema dos sinos e se querem tanto ajudar mãos à obra... Nós não nos importamos com os direitos de autor nem queremos protagonismo!!!
O senhor Francisco tem razão, já chega desta conversa, mas apenas nos estamos a defender de algumas insinuações que foram feitas, como por exemplo que somos pessoas sem coragem.
Boa tarde para todos, e já agora para os crentes quando forem à missa ouçam Deus e sigam as boas obras que Jesus fez... A meu ver é para isso que se vai à missa e não para ouvir o que diz o padre para depois apenas atirar pedras...

CC

Tenho dito disse...

Ao "anónimo" que escreveu:
"Mãos à obra que se faz tarde" - pode sempre ser o primeiro(a) se acha que ainda mais ninguém fez nada!
1º Não sofro desse problema de ser do tipo "eu fiz melhor" ou "eu fiz primeiro"
2º A associação Galo Novo, constitui-se com o objectivo de quê? Não foi o Zé nem a Maria que decidiram criar a associação. Por isso não venham dizer que a culpa é dos habitantes, era só o que falatava. A associação deve motivar os habitantes a participar.
3º Afinal a igreja já interessa ao barulho, terreno é motivo para barulho, e para muito barulho.
4º Quem escreveu dizendo que a igreja tinha o dever de financiar tudo? Escrevi dizendo que a igreja devia ser parte. Como constactamos no seu post que de facto é, ou está interessada em ser.
5º "O estado deve financiar." Deve ou vai fianciar? Vão ser construídos cerca de 370 Centros de Dia ou Lares em Portugal. Pergunto, será que algum desses Centros será em Galegos?
- Galegos é uma das freguesias com menor abstenção nos diverssos actos eleitorais, pós 25 de Abril, o que nos dias de hoje é um bom argumento para solicitar financiamento.
Repito: - "Centro Social: "250 euros por cada eleitor" NEM PENSAR"
Se a igreja contribuir com o terreno, se o estado fizer a parte que lhe compete "O Estado também deve financiar; ou para que servem os nossos impostos?", como você escreve. Ainda é necessário mais financiamento?
6º Se precisam de colaboração digam em quê?

Tenho dito.

Tenho dito disse...

"Nós não nos importamos com os direitos de autor nem queremos protagonismo!!!"

Simplesmente BRAVO. Para o Sr. Sr.(a) CC

Tenho dito

Anónimo disse...

Anonimos, dediquem-se à pesca ...

Anónimo disse...

Anónimo, quer vir connosco? ainda há lugar... traga a cana!

Anónimo disse...

ok! combinado, voce leva a minhoca.